Famílias dos Alagados comemoram a entrega de novas moradias pela CONDER

Área de Atuação
Habitação, Encostas e Macrodrenagem

Foram mais de duas décadas vivendo em condições precárias, em palafitas, nos Alagados – que já foi considerada a maior favela da América do Sul. Hoje, a ambulante Verônica Pereira dos Santos, 52 anos, comemora a entrega das chaves de sua nova moradia. Ela e mais 173 famílias passam, agora, a viver de forma digna no Residencial Margô e Dedé, em Massaranduba, onde receberam um apartamento novo das mãos do governador Rui Costa, na manhã desta terça-feira (11). Uma obra de R$ 11 milhões, que foi executada pela Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (CONDER), vinculada à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano (Sedur). 

São 29 prédios em uma área totalmente pavimentada, com sistema de drenagem e de esgotamento sanitário. O governador destacou que mais casas serão entregues até o fim do ano, inclusive para as famílias que sofreram com as chuvas. “A gente está estimando que vai chegar perto de quase 5 mil casas. Isso vai dar mais de R$ 350 milhões que não estavam inicialmente planejados no orçamento. Mas nós vamos ter que remanejar para poder atender essas pessoas que perderam as suas casas e devolver a elas um mínimo de dignidade, longe das áreas de alagamento”, afirmou. 

As unidades de 43 m² possuem dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço. A área externa tem caminhos de acesso com piso intertravado, bancos de concreto, abrigo para resíduos sólidos, estacionamento e área de lazer com três praças, dois parques infantis, duas academias.     

O secretário de Desenvolvimento Urbano, Eures Ribeiro, ressaltou que o projeto tem como público-alvo as pessoas mais carentes. “Esse projeto visa estender a mão para quem mais precisa, e quem precisa são as pessoas que não têm onde morar. Só aqui são 174 casas, mas nós já temos mais casas cadastradas em um outro projeto. São mais 250 casas que estão praticamente prontas para serem entregues”. 

Homenagem 

O novo residencial entregue pelo Governo do Estado, nesta manhã, recebeu o nome de Margô e Dedé, uma homenagem das famílias beneficiadas às duas líderes comunitárias, que por mais de dez anos acompanharam a trajetória dos moradores, saídos das palafitas, rumo à nova vida, longe da maré, em moradias mais dignas. 

Para Liliane Palmeira, filha de dona Dedé, o sentimento é de orgulho e gratidão. “Se minha mãe estivesse viva, com certeza estaria aqui, feliz no meio dos novos moradores”, afirma recordando do apoio que dona Dedé, que faleceu em março do ano passado, prestou às famílias. Ela complementa: “Tenho muito orgulho de ter sido sua filha. Deus me deu de presente a mãe que ela foi, um exemplo de mulher batalhadora”, declara emocionada. 

Maciel Andrade, da Associação de Moradores e Amigos de Massaranduba, mora na região há 53 anos. Ele acompanhou o trabalho de Margô e Dedé e declara emocionado: “É a concretização de anos de luta para o bem-estar de toda essa gente”. 

a
N